Setembro verde: saiba tudo sobre a doação de medula óssea

Setembro verde: saiba tudo sobre a doação de medula óssea

Alpha faz campanha em Cubatão e Laranjal para conscientizar a respeito da importância da doação

Publicado em 18 de setembro

O Instituto Alpha promove, em Cubatão e Laranjal Paulista, uma campanha para conscientizar as pessoas a respeito da importância da doação de medula óssea, pegando como gancho o setembro verde, mês dedicado ao incentivo à doação de órgãos e tecidos.

Para auxiliar na compreensão deste tema, a coordenadoria de Saúde do Instituto desenvolveu um roteiro com perguntas e respostas sobre o tema. Acompanhe e compartilhe com seus amigos!

1 – O que é a medula Óssea?

É um tecido gelatinoso que se encontra dentro dos ossos, popularmente conhecido como tutano.

2 – Qual a função dela?

É conhecida como fábrica de fazer sangue e é responsável pela fabricação das hemácias (células vermelhas), plaquetas que compõe o sistema de coagulação do nosso corpo e pelos leucócitos (células brancas), responsáveis pelo sistema de defesa do organismo.

3 – Qual diferença entre medula óssea e a espinhal?

Muitas pessoas acham que são as mesmas coisas, mas a medula óssea está dentro dos ossos e responsável pelo desenvolvimento das células, e a medula espinhal está dentro da coluna vertebral, formada por tecido nervoso e responsável por transmitir os impulsos nervosos a partir do cérebro para todo o corpo.

4 – Por que devo doar medula?

O transplante de medula consiste em substituir as células doentes por saudáveis. Essas células são responsáveis pela produção de novas células, ou seja, nosso sangue. Existem várias doenças ligadas ao mau funcionamento da medula óssea. Ex: leucemia, linfoma, mieloma múltiplo entre outas. Podemos listar cerca de 80 doenças ligadas ao sangue.

5 – Quem pode doar?

Pessoas de 18 anos a 55 anos, desde que gozem de boa saúde não tenham tido doenças hematológicas, neoplásicas ou do sistema imunológico.

6 – Como é feito todo processo de doação?

Caso seja compatível, o doador é chamado a realizar exames para saber se está apto. Haverá a internação e todo procedimento será realizado no centro cirúrgico e com anestesia geral ou peri-dural. O procedimento leva em torno de 90 min e a medula do doador se recompõe em 15 dias. 

7 – Existe algum risco ao fazer a doação?

Pode ocorrer desconforto no local da retirada, mas isso é resolvido com analgésicos comuns. Também pode haver anemia leve, que é facilmente controlada.

8- Onde devo ir para doar?

O interessado deve procurar o hemocentro responsável pelo Cadastro de medula óssea. Na Baixada Santista, a referência está no Hospital Guilherme Álvaro, localizado na Rua Oswaldo Cruz 197 – Boqueirão – Santos/SP.

Para ser efetuado o Cadastro, o candidato deverá ter em mãos o documento de identidade. Bom salientar que estar cadastrado não quer dizer que a pessoa fará a doação naquele momento. No cadastramento, será coletado 10 ml de sangue para ser feita a leitura de tipificação e incluída no Banco de Registro de Doadores. Caso seja compatível com alguém que necessita, o candidato será contactado para decidir se fará a doação. Novos exames serão realizados para saber se, de fato, a pessoa está apta.

Uma grande preocupação e necessidade é que o cadastro seja atualizado no caso de mudança de endereço e ou telefone.

9- Tem algum incentivo pra doar?

Em 2018 entrou em vigor a Lei 13.656 – 30 de abril de 2018 que dá isenção de inscrição em concursos públicos para cargo efetivo ou entidades da administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União (Legislativo, Executivo, Judiciário).

10- Quem pode ser compatível comigo?

Os próprios irmãos do mesmo pai e mesma mãe e pessoas sem parentesco.

Existem dois tipos de transplante: o autólogo, onde as células são retiradas do próprio paciente onde a doença não tem origem na medula óssea, ou seja, o organismo produz células saudáveis. E o alogênico, onde as células são doadas de outra pessoa. Nesse caso, a primeira opção é encontrar um doador dentro da própria família e a chance de compatibilidade é de 35 a 40% entre irmãos da mesma mãe e pai.

Não havendo nenhum doador dentro da família a busca é feita pelo cadastro de doadores encontrada no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

11 – Números relacionados à medula óssea no Brasil

O Brasil possui o terceiro maior banco de doadores de medula óssea do mundo com 4.943.535 doadores cadastrados segundo o último boletim de atualização do Redome (julho/19), perdendo apenas pelos Estados Unidos com cerca de 7.9 milhões de cadastro e Alemanha com cerca de 6,2 milhões.  No mundo já são mais de 31 milhões de doadores.  

O primeiro transplante foi realizado em Curitiba no ano de 1979 e hoje já passa mais de 22mil transplantes realizados.

N°de doadores por Raça

Branca – 2.696,203                          Preta – 355,727

Parda – 1.172,214                            Não informado – 537,497

Amarela – 159,752                           Indígena – 22,142  

12 – Como a mistura de raças reforça a importância da doação?

A chance de encontrar alguém compatível é de 0,001 % para cada 100 mil pessoas. O Brasil, sendo um País com uma forte miscigenação, acaba dificultando as chances de um possível doador. Isso reforça a importância da doação.

13 – Minha doação pode beneficiar apenas brasileiros?

Qualquer pessoa pode ser beneficiada com a doação de medula. O banco de medula óssea são interligados no Brasil e no mundo.

Um brasileiro pode ser beneficiado com um doador de outro País.

Skip to content